segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Um calouro na UEM...direto de Maringá

Ano retrasado, estava à procura de um curso pré-vestibular, não sabia onde fazer e o que era um cursinho em si. Depois de procuras, acabei achando! Porém, ainda tinha que ver o preço e como eram as aulas. Com desconto admirável e sentindo que naquele local eu poderia me dar bem, comecei meu caminho! Dias e noites estudando com convicção, apenas um objetivo em mente: passar no vestibular a todo custo. Todos os dias indo a pé ao cursinho, com distância relativa. Mas, como assim relativa? Depois de tempos, passando aos mesmos lugares e vendo vitrines já observadas, pareciam que aqueles 45 minutos não eram “vistos”... Na volta, o mesmo processo. Com suor e o cabelo “queimando” eu chegava e abria meus livros e apostilas. Assim foi por um bom tempo, meses...

Finalmente, havia chegado o grande dia - vestibular de Direito matutino era a minha opção. Três dias de provas nada fáceis, principalmente o primeiro: cheguei com o tão falado “frio na barriga”. Pois é, nunca tinha feito uma prova tão bem elaborada e com grandiosidade de “amarrar” uma variedade de conceitos mundiais e paranaenses em uma mesma questão. Esses dias se passaram mais rápido que eu imaginava. Enfim, “descansei a menti”...

Entretanto, não durou muito, pois eu não tinha sido aprovado. O que? Desistir? Não cogitei essa hipótese – “entrei com mais garra” – melhorando a forma de estudar a cada dia, segui o meu destino para mais dias de provas. Será que no fim daquele ano eu havia conseguido “passar”? – não, não foi desta vez, também! Nada de melancolia, vamos derrubar a barreira do “eu não posso” e “eu não consigo”... Frases que podem ser freqüentes na “cabeça” de um vestibulando.

Eu estava concentrado no meu “sonho”, comida e sono “o mínimo suficiente”, como havia sido nas outras vezes – por necessidade de mais horas de estudos – Assim, passaram-se os dias... Longos dias? Não, eles não foram muito notáveis...

E a prova, chegou! Este terceiro vestibular UEM foi o que eu fiquei menos nervoso e tenso. No entanto, ansiedade era o que me dominava. Porém, ocorreu tudo bem. Agora era só esperar o resultado, que por fim me APROVOU!!! O que eu senti quando eu vi a conseqüência de tanto estudo? Algo inexplicável!

Alegria e choro era só uma amostra. E agora? Ansiedade, determinação e medo a todo instante, porque a minha estréia na faculdade que tanto almejo, está mais perto a cada momento...

Eu sou Renan Phanton, um calouro na UEM

5 comentários:

Anônimo disse...

nossa, acho que tdo mundo passa por isso, seja FAFI, seja UEM, seja qualquer lugar, todos esses sentimentos são comuns pra gente que tenta, tenta e um dia até consegue

Blog da Fafi disse...

acompanhe os próximos "capítulos" logo vc vai ler como é o primeiro dia de aula de um calouro na Uem, o trote, as amizades, as dificuldades, e tudo mais que rola com todos nós no primeiro ano da facul, é só ficar ligado...

( OS EDITORES)

Rondinelli Fortalesa disse...

Muitos parabéns meu amigo, tem que ser assim mesmo, lutar com toda garra que sempre podemos alcançar o que sonhamos.

Anônimo disse...

Aah, eu ja fui caloura *-*
frio na barriga não falta né?
expectativas, ...
mas o bom é que temos uma certeza
já estamos lá dentroooo
e temos certeza de que nosso futuro depende de nossos esforços, nossa garra
to otrcendo por vc Reeee
Vai dar tudoo certo pra vc viiu
tuudiiiboom pra vc...
beijinhooos
by suh (twitter) @susan_suh

Blog da Fafi disse...

e semana que vém não percam!!!
O PRIMEIRO DIA DE AULA...
uuuu
é tenso!
Gente nova, novo ambiente, um novo mundo,
tudo direto de Maringá por Renan Phanton, um calouro na UEM

POSTAGENS RECENTES